quinta-feira, 13 de abril de 2006

QUESTÃO DE QUÓRUM OU DE MORALIDADE?

Uma das notícias hoje mais difundidas foi a da falta de quórum ontem registado na Assembleia da República, que motivou a suspensão dos trabalhos por impossibilidade de realização das votações previstas para o final da sessão.
Não que seja inédita tal situação naquele órgão de soberania (não é rara a necessidade de “arregimentar” os deputados espalhados pelo edifício em momentos de votações), mas convenhamos que pelo momento e pela dimensão se justifica uma apreciação ao que ontem ocorreu para os lados de São Bento.

Nada mais nada menos que a ausência de 107 deputados, a maioria dos quais constava no respectivo registo de presenças. Na prática a maior parte dos deputados “faltosos” tinham estado ao início da sessão, mas com o decorrer do tempo foram-se ausentando a ponto de o presidente da Assembleia se ter visto forçado a adiar as votações agendadas para aquela sessão.
Nada de muito grave, afinal não estava em causa a votação de nada suficientemente importante que justificasse que mais de uma centena de deputados não tivesse optado por iniciar um pouco mais cedo as suas férias pascais. Como é do conhecimento geral os deputados da nação são homens (e mulheres) como todos nós e também procuram evitar os enormes engarrafamentos que nestas épocas de “migração” sempre se verificam nas hipercongestionadas vias de saída de Lisboa; afinal eles apenas o fizeram no superior interesse da redução dos custos e da dependência nacional das importações petrolíferas (toda a gente sabe que qualquer viatura gasta muito mais numa fila de trânsito que se desloca a menos de 2 km/hora que circulando numa constante e segura velocidade de 70 ou 80 km/hora – excepção feita ao “deputado voador”).

Certo é que feitas as contas faltavam 47% dos deputados, a quem os contribuintes nacionais (e apenas estes) remuneram principescamente para debaterem e deliberarem sobre os grandes problemas do país, nada de particularmente grave se o presidente da Assembleia proceder como prometeu, aplicando com o máximo rigor o regime que determina a redução do vencimento aos faltosos. Sucede porém, que aquele mesmo regime estabelece critérios particularmente benignos para a justificação das faltas (quase tudo serve de pretexto para as ausências), raiando mesmo o absurdo de justificar ausências como trabalhos políticos para os partidos (ora como é bem sabido toda e qualquer “conversa” com todo e qualquer cidadão, nacional ou estrangeiro, em todo e qualquer local - até num jogo de futebol em Espanha - reveste os contornos do tal trabalho para o partido – sim, porque mesmo sem eleições próximas o melhor é ir mantendo a “clientela” fidelizada – que é tanto ou mais importante que estar sentado no hemiciclo a votar tudo e mais alguma coisa e da forma que o partido manda).

Como se esta situação não fosse suficientemente absurda, eis que o partido que registou o maior número de “desenfiados” (os tais que assinaram como se estivessem, mas afinal não estavam) vem ainda acusar outro partido da responsabilidade da situação por, dispondo da maioria de deputados não ter assegurado que estes estariam presentes!

Para que se tenha uma noção dos números de que se está a falar aqui ficam as distribuições de deputados e do número de faltosos por partido:
e a referência para o facto do porta-voz do CDS-PP se ter apressado a vir explicar aos microfones da TSF que os 42% dos seus correligionários que faltaram o fizeram ao abrigo do tal regime particularmente benéfico.

Vão lá vocês dizer ao vosso patrão que faltaram por estarem a desenvolver trabalho político, que vão ver a resposta, ao abrigo da legislação que estes mesmos deputados aprovaram, que ele vos dá…

1 comentário:

Anónimo disse...

APELO em divulgação na internet:

ÚTEROS ARTIFICIAIS: Uma Investigação Cientifica Prioritária


[ em ANEXO está explicado a origem do TABÚ-SEXO ]


As Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas têm de Assumir a sua História!!!

As Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas têm de Assumir que a SOBREVIVÊNCIA não caiu do céu!!!
As Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas têm de Assumir que a SOBREVIVÊNCIA só foi possível graças a um Largo Trabalho Sociológico...... nomeadamente, uma Boa Gestão dos Recursos Humanos...... nomeadamente, o facto de elas terem conseguido MOTIVAR os machos sexualmente mais fracos no sentido de eles se interessarem pela SOBREVIVÊNCIA da SUA Identidade!!!
Dito de outra forma, agora que possuem as 'costas quentes' - graças à existência de Armas de Alta Tecnologia - as Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas não podem... pura e simplesmente... deitar os machos sexualmente mais fracos... para o 'caixote do lixo' da sociedade!!!!!!......


Como seria de esperar, o FIM do Tabú-Sexo está a provocar o Declínio Acelerado de muitos Povos Tradicionalmente Monogâmicos...
Com o FIM do Tabú-Sexo veio a acontecer aquilo que seria exactamente de esperar: a percentagem de MACHOS SEM FILHOS disparou... e... exactamente como seria de esperar... os machos de maior sucesso passaram a ter filhos de sucessivos casamentos...


Com o fim do Tabú-Sexo também vieram a suceder os seguintes fenómenos:
-1- a proibição da Poligamia passou a ser uma coisa que JÁ NÃO FAZ SENTIDO; de facto, basta observar o seguinte: muitas fêmeas das Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas passaram a procurar machos de melhor qualidade... oriundos de Sociedades Tradicionalmente Poligâmicas...
[ Nota: Nas Sociedades Tradicionalmente Poligâmicas apenas os machos mais fortes é que têm filhos... ou seja... estas Sociedades procuram seleccionar e apurar a qualidade dos seus machos... ]
-2- muitos machos das Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas passaram a ir à procura de fêmeas Economicamente Fragilizadas... oriundas de outras Sociedades...
[ Nota: Aqueles machos ( dotados de Boa Saúde... ) que não estão interessados em seguir este caminho..., devem possuir o LEGÍTIMO Direito de ter acesso a Úteros Artificiais ]


Mais, a Prostituição deve ser uma actividade rigorosamente controlada pelo Estado... de forma a que:
-1- seja concedido às profissionais do sexo todas as condições consideradas necessárias...
-2- os lucros obtidos com a exploração da 'Prostituição de Luxo'... possam comparticipar uma 'Prostituição a Custos Controlados'... mais barata ( para os Machos Sexualmente Mais Fracos - rejeitados pelas Fêmeas ) ... e sem 'beliscar' a dignidade das profissionais do sexo.



***************************************



ANEXO: A origem do TABÚ-SEXO

--- Nos tempos mais antigos... as mulheres teriam possuído toda a Liberdade e Independência.

--- Depois, mais tarde, pela necessidade de luta pela sobrevivência... ou ... pela ambição de ocupar e dominar novos territórios... alguém fez uma descoberta extraordinária: --> A REPRESSÃO DOS DIREITOS DAS MULHERES!
--- A Repressão dos Direitos das Mulheres tinha como objectivo tratar as mulheres como uns meros 'úteros ambulantes'... para que... as sociedades ficassem dotadas duma VANTAGEM COMPETITIVA DEMOGRÁFICA!!!!!!
--- De facto, quando as guerras eram lutas 'corpo-a-corpo' o factor numérico ( número de combatentes disponíveis ) era de uma importância decisiva... visto que...esse factor era ( frequentemente ) determinante na decisão das Batalhas e das Guerras...

--- Depois, pela necessidade de luta pela sobrevivência... ou ... pela ambição de ocupar e dominar novos territórios... alguém fez uma nova descoberta extraordinária: --> O TABÚ-SEXO!
--- O Tabú-Sexo tinha como objectivo proporcionar uma melhor rentabilização dos Recursos Humanos da Sociedade!?!?!?!...
--- De facto, o Ser Humano não é nenhum Extraterrestre: tal como acontece com muitos outros animais mamíferos, duma maneira geral, as fêmeas humanas são 'particularmente sensíveis' para com os machos mais fortes...
--- Analisando o Tabú-Sexo:
- a sociedade dificultava o acesso das mulheres à independência económica;
- as mulheres que não casassem eram alvo de crítica social...
[ portanto... como é óbvio... as mulheres eram 'pressionadas' no sentido do Casamento ]
- não devia haver sexo antes do Casamento;
- as mulheres não deviam procurar obter prazer no sexo;
- as mulheres que se sentissem sexualmente insatisfeitas, não podiam falar nesse assunto a ninguém, pois o desempenho sexual dos machos não podia ser questionado;
- era proibido o divórcio;...
...........torna-se óbvio que o Verdadeiro Objectivo do Tabú-Sexo eram montar uma autêntica armadilha às fêmeas... de forma a que... estas fossem conduzidas a aceitar os machos sexualmente mais fracos!!!
--- Dito de outra forma, o VERDADEIRO OBJECTIVO do Tabú-Sexo era proceder à integração social dos machos mais fracos!!!

--- Nota: Quando as guerras eram lutas ' corpo-a-corpo', para além do factor numérico ser de de muita importância... frequentemente... o que decidia as guerras era a MOTIVAÇÃO com que os combatentes ( os homens ) lutavam...
--- Concluindo, ao permitir que fosse realizada uma Boa Gestão dos Recursos Humanos da Sociedade... o Tabú-Sexo fez com que... as sociedades ficassem dotadas duma VANTAGEM COMPETITIVA!!!...

MAIS:
--- Quando as batalhas eram lutas corpo-a-corpo... essas batalhas seriam autênticas carnificinas... portanto... era necessário uma grande disciplina... para não existirem homens cada um a fugir para o seu lado...
--- Ora, os responsáveis militares, da altura, não andavam a dormir... e sabiam que para se construir um exército disciplinado era necessário realizar previamente um Largo Trabalho Sociológico de Longo Prazo... no sentido de formar 'Homens Rudes'...; portanto, não é de admirar que tenham surgido na sociedade ' frases-feitas ' do tipo:
- " um homem nunca chora ";
- " não és homem não és nada se... ";
- " a tropa foi feita para os homens ";
- etc...

Que eu me lembre... eis três casos curiosos:
-1- as mulheres tinham de ficar em casa a cuidar dos filhos ( ou seja, era necessário assegurar a Capacidade de Renovação Demográfica...) , caso contrário, o inimigo impunha uma Guerra de Desgaste Demográfico... e ao fim de uma geração ( sem Renovação Demográfica do ‘outro lado’... )... ganhava a guerra 'com uma perna às costas'.
-2- as viúvas não podiam voltar a casar... pois... não era nada benéfico para a moral dos combatentes... eles pensarem que... se eles viessem a morrer no campo de batalha... depois a mulher ia 'curtir' com outro...
-3- existia uma forte repressão sobre os homossexuais... visto que ... a Sociedade necessitava de 'Homens Rudes' para combater nas batalhas ( autênticas carnificinas de lutas corpo-a-corpo... ).



P.S.
É preciso desmascarar esta SOCIEDADE HIPÓCRITA que pretende que sejam classificados como 'PRECONCEITOS'... determinados comportamentos... que foram ABSOLUTAMENTE NECESSÁRIOS para a sua SOBREVIVÊNCIA!!!......