quinta-feira, 10 de maio de 2007

DE FORA TAMBÉM VÊM MAUS EXEMPLOS

A BBC publicou há dias a notícia de que Mohammad Shahabuddin, parlamentar eleito pelo partido Rashtriya Janata Dal (Partido Nacional do Povo) foi julgado por rapto e condenado a pena de prisão perpétua.

Como se não bastasse a gravidade do acto, perpetrado sobre um político membro do Partido Comunista da Índia desaparecido desde 1999, sobre ele pendem ainda 30 outras acusações incluindo assassinato, rapto, tentativa de assassinato, posse ilegal de armas de fogo, violação da vida selvagem e roubo de veículos e de electricidade.

Para se entender um pouco melhor a realidade de que aqui se fala, sempre lembro que o partido pelo qual Shahabuddin foi eleito é aliado do Partido do Congresso (dominante na vida política indiana) e a região que representa, Bihar, é reputada de um estado sem lei.

Os “contactos” de Shahabuddin com a justiça não constituem novidade, pois já em Abril de 2004 a mesma BBC lhe dedicou especial atenção num artigo onde reflectia o facto de candidatos a eleições, naquele estado indiano, dirigirem as suas campanhas a partir das prisões onde se encontravam, aproveitando o facto da lei indiana não impedir a candidatura antes da condenação.

Como fica lamentavelmente demonstrado o fenómeno dos “candidatos-bandidos” não é um exclusivo nacional e até se pode dizer que ao lado destes os nossos não passarão de meninos de coro (até agora apenas têm sido acusados de corrupção, peculato e outros crimes de “colarinho branco”), mas isto serve apenas para, uma vez mais, alertar sobre a extrema urgência na necessidade da alteração das leis que impeçam este tipo de “personagens” de se candidatarem a cargos públicos, já que a sua consciência e, a dos eleitores que neles votam, não lhes permite discernir que vivendo à margem da sociedade não podem ter o direito de nela entrarem pela “porta grande”.

3 comentários:

Anónimo disse...

UMA MÃO CHEIA DE CHAPLIN
DE 23 A 31 DE MAIO 2007
NO JARDIM REPÚBLICA EM ALMEIRIM


Este ciclo de cinema planificado para ser exibido ao ar-livre é organizada pela Câmara Municipal de Almeirim e tem a sua programação assinada pela Círculo Solar- Maternidade de Ideias.

Inteiramente dedicado ao génio de Charlie Chaplin os cinco filmes que enchem esta mão, demonstram bem talento do autor-total. Todos os filme apresentados são realizados, musicados, interpretados pelo próprio Chaplin.

O Jardim República, fica no centro de Almeirim. Charlie Chaplin justifica a viagem e Almeirim vale a visita.

A entrada é livre.


PROGRAMAÇÃO

SESSÃO DE ABERTURA - Quarta-feira 23 de Maio 2007, 21:30h
* O Miúdo – 68' – 1921 – filme mudo

Quinta-feira, 24 de Maio 2007, 21:30h
* A quimera do Ouro – 92'–1925 – filme mudo

Sábado, 26 de Maio 2007 , 21:30
*O Circo – 96' - 1928 – filme mudo

Quarta-feira 30 de Maio 2007, 21:30
*Tempos modernos – 83' - 1936 – filme mudo

SESSÃO DE ENCERRAMENTO, Quinta-feira, 31 de Maio 2007, 21:30h
* O Grande Ditador – 120' – 1940 – filme sonoro

antonio disse...

Não percebi bem essa dos candidatos bandidos, estou certo que em Portugal não acontece o mesmo que se passa na India.

Não estou seguro se as leis devam discernir pelos eleitores, isso pode ser um caminho perigoso.

A Xarim disse...

Igualmente perigoso tem sido o clima de total impunidade em que autarcas do calibre de Fátima Felgueiras, Isaltino Morais, Valentim Loureiro e Avelino Ferreira Torres têm manobrado em defesa de intresses pessoais e em evidente prejuízo dos superiores interesses das populações que os elegeram.
Enquanto se mantiver o nível de reduzida informação dos eleitores vai ser um "fartar vilanagem"...