quarta-feira, 5 de setembro de 2007

LUSAS CONTRADIÇÕES

A atestar pelas notícias divulgadas nas últimas horas o nosso país continua no seu melhor. Na senda de “bravos de outros tempos”, os “bravos de agora” conseguem que com poucas horas de diferença o quotidiano de cada um de nós seja interrompido com a notícia que Portugal torna-se o 7º melhor país do mundo no e-Government, enquanto quase de imediato somos recordados que o abandono escolar agravou-se em 2006.
Continuamos a viver entre o pior e o melhor; glorificamos aqueles que se afirmam vencedores e esquecemos os que eles espezinham.

Pior, continuamos a ser espezinhados, aplaudimos e pedimos bis!

Só assim se pode entender que confortado com os resultados do estudo agora publicado venha o Coordenador Nacional da Estratégia de Lisboa e do Plano Tecnológico, Carlos Zorrinho, apregoar aos quatro ventos as maravilhas do progresso tecnológico, enquanto parece ter-se esquecido alguns pequenos detalhes:

  1. o que o estudo da Universidade de Brown avalia são as páginas electrónicas em sites governamentais, ou seja a oferta de canais electrónicos disponibilizada, e não a sua funcionalidade e/ou efectiva utilização;
  2. em qualquer dos casos, quando conhecemos a taxa nacional de abandono escolar dificilmente se poderá admitir que ao número e aparente qualidade dos canais electrónicos criados corresponda uma real e efectiva utilização por uma percentagem expressiva da população;

que os meios de comunicação, que prontamente difundiram a notícia e os comentários daquele responsável, também não demonstraram qualquer esforço para esclarecer.

Verdadeiramente digno de menção e dos maiores encómios seriam se os resultados daquele estudo estivessem a ser acompanhados pelo aumento do grau de literacia da população portuguesa e, principalmente, pela formação de novas gerações imbuídas de novos valores sociais e de competências técnicas acrescidas.

1 comentário:

antonio disse...

Bem visto. Durou pouco a festa. Mas que é uma notícia simpática lá isso é.